sexta-feira, 22 de junho de 2018

O Brasil começou aqui, no RN?

Palestra sobre as teses do descobrimento do Brasil para professores do município de Touros, para facilitar o concurso de redação promovido pelas secretarias estaduais de Educação e Turismo, utlizou como uma das referências, meu filme "O RN na rota de Cabral", criado em 2011 e que usa as teorias de Lenini Pinto e outros historiadores.


A palestra foi proferida pelo colega Lindemberg Araújo que também ficou surpreso ao ver o filme. tenho certeza que se ele tivesse sabido do conteúdo antes, me convidaria também para assistir a palestra.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

domingo, 3 de junho de 2018

sábado, 5 de maio de 2018

FOGO GÉLIDO

Esta é uma personagem minha criada em 1984 e ajustada com o tempo. hoje faz parte do catálogo brasileiro de heróis nacionais, criado por Lancelott Martins. o desenho é do artista Rafa Schinider. Belo exemplo de como nosso trabalho sempre acaba nos surpreendendo. ficou lindo.

link do catálogo: http://hqquadrinhos.blogspot.com.br/2016/08/catalogo-de-herois-brasileiros-vol-1.html


sexta-feira, 4 de maio de 2018

Lançamento do filme "Nova Amsterdam"

Dia 30 de maio de 2018 será lançado o filme "Nova Amsterdam", filme histórico, que narra de forma lírica/romântica a chegada dos holandeses no Nordeste do Brasil no século XVII, mas principalmente na Capitania do Rio Grande.
A história começa com a invasão holandesa ao forte dos Reis Magos e sua tomada, sendo posteriormente transformado em Castelo de Keulen e trazendo novos holandeses, tendo dentre eles, Maurício de Nassau (Charles Paraventi) e Jacob Rabbi (Ancelmo Vasconcelos), sendo o último o vilão, que vai perceguir os católicos (os holandeses eram evangélicos) e matar em várias situações no filme essa gente, inclusive os massacres de Cunhaú e Uruassu, a qual são hoje, protomartires do Brasil, pela igrega Católica.
O herói (Leonardo Miggiorini) tenta fugir de todos os encontros com o vilão, mas no final os dois se enfrentam.
E o meu primeiro Longa metragem como produtor e diretor de efeitos especiais e estou muito contente de participar dessa empreitada gigante que foi fazer o filme.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Ter uma experiência - Jonh Dewey

Uma das coisas mais complicadas que já me aconteceu foi a leitura para o meu segundo mestrado. Uma leitura necessária e que eu não encontrava em lugar nenhum na internet. Se um livro é tão imprescindível assim, por que não estar online?

Consegui o livro, escaneei as páginas específicas da leitura para poder compartilhar com todos os estudantes que não tem o dinheiro para comprar o livro e esta parte especial, voltada para o ensino da arte.

Aqui está as páginas 109 a 141 do livro Arte como experiência de Jonh Dewey. Grátis e compartilho com o maior prazer. Boa leitura.

DEWEY, J. Ter uma experiência. In: DEWEY, J. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010, p.109-141.

Baixar

sexta-feira, 16 de março de 2018

Cachorro ladra para quem o dono manda. Mata quem o dono quer.


Hoje, voltando para casa, assistir um solilóquio de um decadente jovem jornalista de uma grande rede de jornalista. Uma gota no mar de maldades que assolam o nosso Brasil.

O dito jornalista (que não vou falar o nome, mas a gota já diz quem é) falava sobre o motorista de Marielle, que morreu no ataque a vereadora. Falou também que todos os esquerdistas maltrapilhos do país defenderam e falaram da vereadora, mas ninguém falou do motorista.

E deu a perceber nas entrelinhas de suas palavras que ELA foi a culpada pela morte do motorista. Não o que todos percebem ser, policiais bandidos por vingança dos seus donos para com a vereadora que em poucos meses fez dezenas de projetos todos de nível social para melhorar a vida do povo, principalmente dos mais carentes.

Me veio a cabeça que, cara! O jornalista (ele é jornalista mesmo?) está defendendo a meses o que o patrão manda e me veio o repente, também, de que um dia, ele será sumariamente demitido (assim como tantos outros) e ai vai reclamar que ou falava o que o dono da empresa queria ou seria demitido. Foi de qualquer jeito.

A mídia defende os interesses dos seus donos, não da sociedade, por isso não assistir ao Jornal das grandes empresas é impressindível. a visão é a do patrão, não dos jornalistas e não estou defendendo eles. São lacaios e gostam do que fazem. Esbravejam moralidade, desde que sejam pago para isso. São ladrões, são assassinos. Tanto ou mais que um corrupto, bandido, criminoso do colarinho branco.
Eles influenciam as pessoas e essas, ah coitadas, são mais criminosas ainda, pois não fazem o básico: ler e assim incentivados a não criticar o que se passa no jornalismo. O que jornalista fala é a verdade, ficando nesse ciclo de revolta e indignação sem saber por que estão fazendo isso.

Mais interessante mesmo é ver que o povo indignado com a morte do motorista, por exemplo, esquece que Marielle foi um pingo (ops) no mar de sangue que corre no Rio. Ela é lembrada, falada, mostrada, por ser alguém conhecida, mas acredite, são milhares de pessoas nos morros sendo mortos e a mídia não fala nada, não mostra nada. Para se ver algo, tem que ver nas redes sociais (essas, apesar dos fakes, mostram muito mais dialética que qualquer jornal empresarial).

Vi, sim material sendo falado também do motorista. Ele a conduzia. mas ela conduzia milhares de pessoas para não serem justamente mortas, simplesmente por existirem.

Todo apoio a qualquer pessoa que defenda a paz, a educação, a cultura. e, também, todo apoio a qualquer família que perder seu ente querido na violência que só tem um mandatário. o poder dos corruptos. eles que detém as mortes de todos em suas mãos e são salvos pela mídia que eles também são donos. 

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

O maior micro conto da da história

Nasceu morto.

Vinheta com minhas produções

Agradeço os organizadores do Festival Cine Fest RN pela escolha de dois trabalhos meus na sua vinheta de divulgação do seu festival.

https://youtu.be/yOIjsZhTJjE



quinta-feira, 31 de agosto de 2017

"The Carrier" Continua seu destino

Lançado em 2013, com roteiro de Evan Young e Arte de Will Walber e Lula Borges, "The Carrier" continua sendo um dos quadrinhos mais lidos na mídia para I-Phones e I-Pads.

A história é sobre um cientista que perde a memória e se encontra com uma mala que não sabe-se o que é e vários espiões no mundo inteiro busca as informações que pode ter dentro da mala.
Para mais informações, entre no site e baixe o quadrinho e promoções que se encontram por lá.
http://www.carriercomicbook.com/
Vários são os prêmios ganhos e várias divulgações sobre o trabalho foram percebidas em várias revistas de quadrinhos mundo afora.


quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Estêncil de parede

Como professor de educação básica voltada para artes, venho desenvolvendo trabalhos práticos com as turmas do ensino fundamental 2 (ou finais) e também ensino médio. Os trabalhos envolvem animação, cinematografia, música, teatro, entre outras coisas.
Para o sétimo ano do fundamental 2 estou desenvolvendo ao londo do 3º bimestre deste ano trabalhos voltados para as artes nas ruas e destas resolvi, em conversa com os alunos, fazer com eles  um trabalho de estêncil de parede, arte já bem distribuída nas paredes das cidades, principalmente na parte pobre ou histórica com os grafiteiros e artistas visuais de rua.
O primeiro passo foi a parte teórica, que vem no livro didático do ano estudado, falando das artes que existem nas ruas e as pessoas nem conhecem direito.
O segundo passo é criar imagens que existem na internet e colar elas em chapas de raios x que foram cedidas por outros professores da escola e também de alunos.
O terceiro passo é cortar, com muito cuidado as imagens que estão coladas nas chapas de raios x e  depois lavar as chapas, para retirar a cola e o papel da chapa e assim ela ficar livre para os meninos usarem nas paredes. (estamos nesta etapa no momento).
O quarto e ultimo passo é pintar as paredes da escola, a partir da escolha da direção, o qual será feito na próxima aula.
Não se pode fazer todos os passos em apenas um dia. Para nosso trabalho são necessários 3 dias ao menos, pois precisamos de tempo para fazer as criações e poder ter melhor domínio no alvoroço dos alunos.
Algumas fotos do que foi criado até o momento.